Subsídio para o Ano Sacerdotal

Neste Ano Sacerdotal (19 junho 2009 a 11 de junho de 2010), o Santo Padre pede a todos os católicos que oremos fervorosamente pela santidade dos sacerdotes e pelas vocações sacerdotais.

Atendendo a esse pedido do Vigário de Cristo, oferecemos a seguir a versão portuguesa de uma “velha oração latina”, que pode ajudar-nos a meditar sobre a grandeza do sacerdócio, a avaliar a transcendência desse ministério sagrado, e a apoiar todos os sacerdotes do mundo – mediante a eficácia divina da Comunhão dos Santos – com a nossa prece, pedindo que o “selo” e a graça do Espírito Santo, infundida tão generosamente em suas almas pelo Sacramento da Ordem, os transforme realmente nos “outros Cristos” de que tanto necessita o povo cristão.

A seguir, após o texto dessa velha oração, transcrevemos também o da “Oração oficial para o Ano Sacerdotal”.

Oração pelos sacerdotes

Ó Jesus, Pontífice eterno e sacrificador divino que, movido por um singular ímpeto de amor para com os homens, teus irmãos, fizeste brotar do teu sagrado Coração o sacerdócio cristão: não deixes de derramar benignamente nos teus sacerdotes as torrentes vivificantes de teu amor infinito.

Pedimos-te que queiras viver neles e transformá-los em Ti! Faze com que, pela tua graça, sejam ministros das tuas misericórdias. Age Tu neles e por intermédio deles, e faze com que, imitando fielmente as tuas virtudes, em tudo se revistam de Ti, e, em teu nome e pela força do teu Santo Espírito, realizem tudo aquilo que Tu realizaste para a salvação do mundo.

Olha, divino Redentor das almas, para a grande multidão dos que ainda dormem nas trevas do erro; considera o número das ovelhas infiéis que caminham à beira do precipício, e quantos são no mundo os que gemem na pobreza, na fome, na ignorância, na enfermidade e na solidão.

Vem de novo para nós por meio dos teus sacerdotes; ressurge verdadeiramente neles! E, agindo por eles como teus instrumentos, percorre novamente o mundo ensinando, perdoando, consolando, oferecendo o teu Sacrifício e renovando os vínculos sagrados da caridade entre o teu Coração divino e os corações dos homens. Amém.

Preces selectae, in Orationes pro variis necessitatibus: Pro sacerdotibus

*******

Oração Oficial para o Ano Sacerdotal

Senhor Jesus,

Vós quisestes dar a Igreja, em São João Maria Vianney, uma imagem vivente e uma personificação da caridade pastoral.

Ajudai-nos a viver bem este Ano Sacerdotal, em sua companhia e com o seu exemplo.

Fazei que, a exemplo do Santo Cura D’Ars, possamos aprender como estar felizes e com dignidade diante do Santíssimo Sacramento, como seja simples e quotidiana a vossa Palavra que nos ensina, como seja terno o amor com o qual acolheu os pecadores arrependidos, como seja consolador o abandono confiante à vossa Santíssima Mãe Imaculada e como seja necessária a luta vigilante e fiel contra o Maligno.

Fazei, ó Senhor Jesus que, com o exemplo do Cura D’Ars, os nossos jovens possam sempre mais aprender o quanto seja necessário, humilde e glorioso, o ministério sacerdotal que quereis confiar àqueles que se abrem ao vosso chamado.

Fazei que também em nossas comunidades, tal como aconteceu em Ars, se realizem as mesmas maravilhas de graça que fazeis acontecer quando um sacerdote sabe “colocar amor na sua paróquia”.

Fazei que as nossas famílias cristãs saibam descobrir na Igreja a própria casa, na qual os vossos ministros possam ser sempre encontrados, e saibam fazê-la bela como uma igreja.

Fazei que a caridade dos nossos pastores anime e acenda a caridade de todos os fiéis, de tal modo que todos os carismas, doados pelo Espírito Santo, possam ser acolhidos e valorizados.

Mas, sobretudo, ó Senhor Jesus, concedei-nos o ardor e a verdade do coração, para que possamos dirigir-nos ao vosso Pai Celeste, fazendo nossas as mesmas palavras de São João Maria Vianney:

Eu Vos amo, meu Deus, e o meu único desejo é amar-Vos até o último suspiro da minha vida.

Eu Vos amo, Deus infinitamente amável, e prefiro morrer amando-Vos a viver um só instante sem Vos amar.

Eu Vos amo, Senhor, e a única graça que Vos peço é a de amar-Vos eternamente.

Eu Vos amo, meu Deus, e desejo o céu para ter a felicidade de Vos amar perfeitamente.

Eu Vos amo, meu Deus infinitamente bom, e temo o inferno porque lá não haverá nunca a consolação de Vos amar.

Meu Deus, se a minha língua não Vos pode dizer a todo o momento que Vos amo, quero que o meu coração Vo-lo repita cada vez que respiro.

Meu Deus, concedei-me a graça de sofrer amando-Vos e de Vos amar sofrendo.

Eu Vos amo, meu divino Salvador, porque fostes crucificado por mim e porque me tendes aqui em baixo crucificado por Vós.

Meu Deus, concedei-me a graça de morrer amando-Vos e de saber que Vos amo.

Meu Deus, à medida que me aproximo do meu fim, concedei-me a graça de aumentar e aperfeiçoar o meu amor.

Amém.

S. João Maria Vianney.