Maria e o dom da sabedoria

Sede da sabedoria,

Mãe santa!

Fazei-nos amar o dom de Sabedoria,

o mais alto dos dons do Espírito Santo,

que nos faz maravilhar-nos

e saborear com gosto extasiado

– numa sintonia feliz e uma união inefável –

as grandezas de Deus,

as belezas de Deus,

as bondades de Deus,

os abismos de luz dos mistérios de Deus,

as maravilhas da Graça divina

e as exigências santas do Amor.

***

Mãe, consegui do Espírito Santo para nós, sem falta

– atrevemo-nos a pedir-vos assim,com ousadia –,

que cada vez nos enamore mais o Rosto de Cristo

e a Palavra de Cristo,

a Vida de Cristo

e a Morte de Cristo..

Que O procuremos com ânsia,

com uma sede que a cada dia cresça,

e estejamos decididos a imitá-Lo

e a segui-Lo,

e a abraçá-Lo

como nosso único bem,

como o nosso único

Caminho, Verdade e Vida.

Ajudai-nos, Mãe, a dizer,

com São Josemaria Escrivá:

“Jesus: ver-Te, falar contigo!

Permanecer assim, contemplando-Te,

abismado na imensidade

da tua formosura,

e não cessar nunca, nunca,

nessa contemplação!

Oh, Cristo, quem Te pudesse ver!

Quem Te pudesse ver,

para ficar ferido de amor por Ti!”

De maneira muito especial, Mãe,

rogai ao Espírito divino

que acenda em nós

– como um carvão em brasa –

um amor cativado, louco,

cheio de indizíveis doçuras,

pelo mistério da Sagrada Eucaristia,

“que contém todo o bem espiritual da Igreja:

pois nela se contém o próprio Cristo”.

A Eucaristia!

É neste mistério que está presente

o Amor que chegou até ao fim,

até à entrega plena da vida na Cruz,

por nós, os pecadores,

e pela nossa salvação.

Dai-nos fome desse Pão Vivo,

que nEle nos transforma,

quando nos alimenta;

e que ao mesmo tempo é nosso grande Amigo,

“que nunca atraiçoa”,

sempre à nossa espera

em cada um dos Sacrários da terra.

***

Alcançai-nos, Mãe, ainda,

que, com o dom de Sabedoria,

saibamos captar com júbilo

e agradecer sem cansaço

a beleza da entrega a Deus,

a paz profunda e o gozo sereno

da fidelidade à Vontade do Senhor,

tanto nas horas fáceis como nas difíceis.

Que nos ensine a entoar

o cântico do coração generoso

que não quer entregar-se pela metade,

mas dar-se inteiro

a Deus e a todos os irmãos.

Coração generoso que estremece,

“com ânsias em amores inflamado”,

na gloriosa esperança de chegar um dia

– conduzindo uma multidão de irmãos –

à gloriosa morada do Céu,

à fogueira indescritível de Amor

que é a Santíssima Trindade.

***

Mãe, nós vos pedimos

que o vosso Coração Imaculado

nos ajude de tal modo, que possamos proclamar

agora e na hora da nossa morte:

Nós conhecemos o Amor de Deus

e acreditamos nele.

Bem sabemos que, infelizmente,

quando esse dom é expulso da alma

por nossa culpa,

as coisas de Deus se nos tornam insípidas e tediosas,

assim como os mais deliciosos manjares

se tornam repugnantes ao paladar estragado.

Não permitais, Mãe do belo amor,

que as coisas de Deus

cheguem a nos causar jamais

nem cansaço, nem repugnância, nem tédio,

por nos termos afundado

no abismo da tibieza!

Sede da Sabedoria, rogai por nós!

Adaptado de um texto do livro de F. Faus: A tibieza e os dons do Espírito Santo (Quadrante 2007)