Textos para meditar: a Missa de um mártir

A MISSA E A CRUZ
[palavras de São João Paulo II na Missa de exéquias do arcebispo-mértir vietnamina, François Xavier Nguyen Van Thûan]
“O seu segredo – dizia São João Paulo II – era uma confiança indômita em Deus, alimentada pela oração e pelo sofrimento aceito com amor. Na prisão, celebrava cada dia a Eucaristia com três gotas de vinho [conseguido da família em conceito de «medicamento»] e uma gota de água na palma da mão. Esse era o seu altar, a sua catedral. O Corpo de Cristo era o seu «remédio». Por isso, narrava com emoção: «Todas as vezes eu tinha a oportunidade de estender as minhas mãos e de me cravar na Cruz juntamente com Jesus, de beber com Ele o cálice mais amargo. Em cada dia, recitando as palavras da Consagração, confirmava com todo o meu coração e com toda a minha alma um novo pacto, uma aliança eterna entre mim e Jesus, mediante o seu sangue que se misturava ao meu». «Eram – afirmava D. Van Thuân – as mais belas Missas da minha vida»”.  (citado no livro de F. Faus, Otimismo cristão, hoje, p. 68)