Mês de Maria: Novena a Nossa Senhora (1)

PRIMEIRO DIA – MARIA E A FÉ
_________________________________
 Meditar com São Josemaria
Foi maravilhoso aquele ato de fé de Santa Maria: «Eis a escrava do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra» (Lc 1,38)… Se a nossa fé for débil, recorramos a Maria. Conta São João que, devido ao milagre das bodas de Caná, que Cristo realizou a pedido de sua Mãe, «os seus discípulos creram nEle» (Jo 2,11). A nossa Mãe intercede sempre diante do seu Filho para que nos atenda e se nos revele de tal modo que possamos confessar: «Tu és o Filho de Deus» [Amigos de Deus, nn. 284-285].
«Bem-aventurada és tu porque acreditaste», diz Isabel à nossa Mãe … Maria leva a alegria ao lar de sua prima, porque “leva” Cristo [Sulco, n. 566].
«Santa Maria, Sede da Sabedoria». – Invoca com frequência deste modo a Nossa Mãe, para que ela cumule os seus filhos da Verdade que Cristo nos trouxe [Sulco, n 607].
Invoca a Santíssima Virgem; não deixes de pedir-lhe que se mostre sempre tua Mãe e que te alcance, com a graça do seu Filho, luz de boa doutrina na inteligência, e amor e pureza no coração [Forja n. 986].
Mãe nossa, tu, que trouxeste à terra Jesus, por quem nos é revelado o amor do nosso Pai-Deus, ajuda-nos a reconhecê-lo no meio das ocupações de cada dia; remove a nossa inteligência e a nossa vontade, para que saibamos escutar a voz de Deus, o impulso da graça [É Cristo que passa, n. 174]
Oração
Minha Mãe, Mestra de Fé! Ao começar esta Novena, peço-te que intercedas diante de teu Filho Jesus para que me conceda a graça de crer mais e melhor. Que eu veja a Verdade divina contida na Palavra de Deus e nos ensinamentos da Santa Igreja; que eu contemple o mundo, a vida, os acontecimentos, as pessoas…, com os olhos de Cristo, com a luz do Espírito Santo. Ajuda-me a viver de fé!
Lembro-me do que São João conta no seu Evangelho: nas Bodas de Caná – onde este apóstolo estava tão perto de ti –, Jesus fez por tua intercessão maternal o seu primeiro milagre «e os seus discípulos creram nele» (Jo 2,11). Com certeza, a alegria de crer fez com que neles aumentasse o amor a Jesus. É justamente isto o que eu anseio: ter mais fé, para ter mais amor. Era isso o que pedia São Paulo: «Que Cristo viva pela fé nos vossos corações, arraigados e consolidados no amor»! (Ef 3,17).
Que eu compreenda cada vez melhor, Mãe, esta verdade: «Não é Cristo uma figura que passou. Não é uma recordação que se perde na história. Vive! “Jesus Cristo ontem e hoje e sempre!”…» (Caminho, n. 584).
Peço-te que a minha fé seja sempre ardente, cheia de segurança, de certeza inabalável, mesmo nos momentos de «noite escura» da alma. Sim, Mãe, ainda que alguma vez a minha fé fraqueje – porque não veja claro, ou porque sinta medo, ou porque me custe perseverar no caminho da vocação cristã –, fica tu ao meu lado para dar-me a certeza de que, se peço a Deus o dom da fé, por tua intercessão a luz voltará a brilhar na minha alma.
Mestra de fé, sei que contigo nunca ficarei na escuridão; tu não permitirás que eu seja daqueles que «passam pela vida como por um túnel, e não compreendem o esplendor e a segurança e o calor do sol da fé» (Caminho, n. 575).
Confio em que, por tua proteção e pela graça de teu Filho, apesar das minhas misérias, vou ser capaz de transmitir aos outros «a única chama capaz de iluminar os caminhos terrenos das almas, o único fulgor em que nunca se poderão dar escuridões, penumbras ou sombras», ciente de que da minha fé «depende que muitos não permaneçam em trevas, mas andem por caminhos que levam até a vida eterna» (Forja, n. 1).