Novena do Espírito Santo (1)

Primeiro dia: UMA NOVENA ESPECIAL
TODOS. – Ó Deus, nosso Pai, concedei-nos fazer com fé e devoção esta Novena ao Espírito Santo, de modo que, quando vier no dia de Pentecostes, encontre as nossas almas dignamente preparadas para recebê-lo e possa derramar em nós a sua Graça e os seus sete Dons.
LEITOR 1. – Hoje vamos começar uma novena especial… Inclusive pode-se dizer que é uma novena “muito especial”, “única”…
LEITOR 3. – “Única”…, por quê? Há muitas novenas ótimas. Por que essa seria diferente?
LEITOR 1. – Pois, olhe, é mesmo “única”, porque tem uma característica que nenhuma outra tem: é uma novena que o próprio Jesus mandou fazer…
TODOS. – Isto é muito interessante! Poderíamos ter uma explicação, antes de começar?
LEITOR 1. – Sem dúvida. A explicação encontra-se no livro dos Atos dos Apóstolos, escrito por  São Lucas. Alguém se lembra?
LEITOR 2. – Sim, é verdade… Nosso Senhor, momentos antes da sua Ascensão aos céus, declarou aos discípulos: Eu vos mandarei o Prometido de meu Pai [o Espírito Santo], e, a seguir, deu-lhes uma ordem: permanecei na cidade [ em Jerusalém], até que sejais revestidos da força do alto . Vocês vêem? Jesus lhes mandou que não saíssem de Jerusalém, mas que lá ficassem, juntos, rezando, enquanto não viesse o Espírito Santo…, coisa que aconteceu dez dias depois, na festa judaica de Pentecostes.
LEITOR 1. – E, de fato, eles cumpriram ao pé da letra o que o Senhor lhes tinha mandado. Desceram do monte das Oliveiras, após a Ascensão, voltaram a Jerusalém, e logo foram reunir-se no Cenáculo, na sala onde Cristo celebrara a última Ceia. Essa “sala de cima”, depois da Ressurreição, era seu ponto de encontro. Lá permaneceram todos – Apóstolos, discípulos, santas mulheres – durante nove dias, e perseveravam  unanimemente na oração – como escreve São Lucas –, juntamente com Maria, a Mãe de Jesus.
LEITOR 2. – Vocês vêem? A Igreja sempre teve presente que a Ascensão foi numa quinta-feira e que, dez dias depois, na festa de Pentecostes, veio o Espírito Santo. Nove dias de intervalo ao todo. Ou então dez dias se incluirmos na “novena” o dia da Ascensão (quinta-feira, ainda que no Brasil a festa litúrgica seja transferida para domingo), ou o próprio dia de Pentecostes. Daí que alguns, em vez de fazer uma novena preferem fazer um “decenário”. É a mesma coisa: as duas formas são legítimas, e esta novena prevê as duas possibilidades…
TODOS. – Que alegria! Vamos fazer esta novena como se estivéssemos rezando no Cenáculo, pertinho de Nossa Senhora, unidos à oração dEla, dos Apóstolos e discípulos e das santas mulheres…
LEITOR 3. – Escutem. Não digamos “como se estivéssemos”… É muito mais! Vamos “estar” mesmo, vivendo de verdade aqueles dias no Cenáculo. O Catecismo da Igreja nos ensina que “tudo o que Cristo é, tudo o que fez e sofreu por todos os homens participa da eternidade divina, e assim ultrapassa todos os tempos e em todos se torna presente” .
TODOS. – Que maravilha! Rezaremos sentindo palpitar o coração materno de Maria, real e presente, bem junto do nosso coração. E assim a nossa oração receberá a força da intercessão da Mãe de Deus!
LEITOR 3. – Que acham se fazemos um pequeno intervalo de silêncio, para meditar e agradecer essa realidade, e depois rezamos todos juntos.
 (pausa de silêncio).
TODOS. – Ó Maria, Mãe de Deus e Mãe nossa, não nos abandoneis. Ficai conosco e alcançai do Espírito Santo, vosso Esposo divino, que esta novena nos obtenha a graça de uma mudança profunda nas nossas vidas, uma mudança que nos faça melhores filhos de Deus, mais coerentes com a nossa santa fé, e nos torne capazes de fazer um maior bem aos outros.
LEITOR 1. – Estamos pedindo uma mudança de espírito e de conduta, e com toda a razão. Vocês sabem, com certeza, quem é o Espírito Santo, para cuja vinda começamos a preparar-nos.
LEITOR 3. – Claro. Ele é a terceira Pessoa da Santíssima Trindade, o Amor de Deus em pessoa. Ele é toda a força, toda a potência, toda a vitalidade, todo o calor, toda a suavidade, toda a riqueza, todo o esplendor do Amor de Deus.
TODOS. – Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor!
LEITOR 2. – Só Ele pode transformar os corações e fazer com que sejamos capazes de “nascer do novo”, como Jesus pedia a Nicodemos .  Só Ele, o Espírito divino, pode mudar o mundo, através daqueles corações que Ele já mudou. Porque, se os corações não mudam, não se pode esperar que mude a família, nem poderá mudar a comunidade, nem nós, os cristãos, poderemos mudar o mundo como Jesus quer.
TODOS. – Enviai o vosso Espírito e tudo será criado. E renovareis a face da terra!
LEITOR 1. – Se soubermos acolher o Espírito Santo, Ele derramará nas nossas almas e na sociedade, juntamente com o seu Amor, os seus “frutos”, aqueles de que fala São Paulo na sua Carta aos Gálatas: Alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, lealdade, mansidão, autodomínio, castidade  . Acho que vemos muito claro que o mundo só será renovado quando esses frutos amadurecerem na vida dos cristãos.
TODOS. – Divino Espírito Santo, fazei-nos dignos de possuir e de irradiar, na família, no trabalho e na sociedade, os vossos santos frutos.
LEITOR 2. – E só o Espírito Santo pode difundir nas nossas almas os seus sete Dons, que são como que o toque da mão de Deus, do Amor de Deus, na alma, um toque forte e delicado que nos transforma em filhos de Deus empenhados sinceramente na procura da santidade. Todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus – diz São Paulo – são filhos de Deus .
TODOS. – Vinde, Espírito Santo, concedei a todos os fiéis, que em vós confiam, os sete dons sagrados.
LEITOR 1. – Pois bem. É justamente sobre esses sete dons que vamos fazer a nossa novena. Cada dia meditaremos sobre um dom, e pediremos ao Espírito Santo, pai dos pobres, doador das graças – como diz a Liturgia de Pentecostes–, que o infunda na nossa alma e o mantenha como uma chama acesa.  Deus faça que esta novena nos dê a alegria de “descobrir” mais plenamente as riquezas do Espírito Santo e dos seus dons.
TODOS. – Santíssima Mãe de Deus, ficai perto de nós, conduzi-nos pela mão, como boa Mãe, pois somos vossos filhos. Ajudai-nos a receber, na alma purificada por uma boa confissão, o divino Espírito Santo, e, com Ele, seus frutos e dons, que são o cume e a plenitude da vida cristã.
LEITOR 1. –  No final de cada dia da novena, gostaria de fazer a sugestão de um propósito concreto. Para este primeiro dia, penso que seria bom propor-nos a ler, no Catecismo ou em algum bom livro de doutrina católica, o que a Igreja nos ensina sobre o Espírito Santo. E também poderíamos propor-nos repetir com freqüência, ao longo destes dias, a oração “Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor!”