(Novena do Espírito Santo (2)

Segundo dia: O DOM DE SABEDORIA
TODOS. – Divino Espírito Santo, “luz felicíssima, enchei até ao íntimo os corações dos vossos fiéis”, Vós que sois, como canta a Igreja, “fonte viva, fogo, caridade e unção espiritual”.
LEITOR 1. – A Igreja, como vocês provavelmente sabem, conhece os dons do Espírito Santo porque o profeta Isaías os enumera no capítulo onze do seu livro, e depois São Paulo os completa em suas Cartas . São sete: sabedoria, entendimento, conselho, fortaleza, ciência, piedade (que se desdobra em piedade para com Deus e para com o próximo) e temor de Deus.
LEITOR 2. – O Catecismo da Igreja diz que são “disposições permanentes – infundidas pelo Espírito Santo na alma como qualidades sobrenaturais – que tornam o homem dócil para seguir os impulsos do mesmo Espírito” .
LEITOR 1. – Uma vez lembrada essa doutrina sobre os dons em geral, a partir de hoje vamos dedicar cada dia a um dom, ainda que não sigamos exatamente a ordem em que os menciona Isaías. Para início de reflexão, o primeiro que vamos considerar é o dom de Sabedoria. Antes de mais nada, porém, peçamos a ajuda de Maria.
TODOS. – Mãe santíssima, Vaso espiritual, sede da Sabedoria, ajudai-nos a abrir a mente e o coração à luz de Deus, para compreender a grandeza deste dom.
LEITOR 1. – É muito clara e bela a descrição do dom de Sabedoria que fez certa vez João Paulo II. Dizia que é um conhecimento das coisas de Deus impregnado de amor, graças ao qual a nossa alma ganha familiaridade e sintonia com as realidades divinas e chega a ter delas um conhecimento amoroso, saboroso, delicioso e feliz.
LEITOR 2. –  Quer dizer que a Sabedoria que o Espírito Santo nos dá não é uma sabedoria de sala de aula, nem o conhecimento de um conjunto de verdades teóricas, mas é aquele tipo de conhecimento, cheio de luz e calor, que se poderia chamar “sintonia com Deus”, e que só o Amor é capaz de proporcionar.
LEITOR 3. – É verdade… Só o amor nos permite conhecer bem a Deus e entendê-lo; da mesma forma que só o amor nos faz capazes de conhecer e compreender bem as pessoas. Sem amor, achamos que conhecemos, mas ficamos no escuro e apenas vemos verdades parciais, sombras, imagens confusas, misturadas com preconceitos e dúvidas.
LEITOR 2. – Bem dizia Jesus, citando Isaías, que há cegos de olhos abertos: têm olhos e não vêem; têm ouvidos e não ouvem… Por que?
LEITOR 3. – Porque lhes falta o Amor divino: Seu coração se endureceu e, então, não compreendem nada nem se convertem .
TODOS. – Divino Espírito Santo, livrai-nos da aridez de um coração seco, morno, tíbio, sem amor; dessa aridez horrível, que é a crosta que o nosso egoísmo, a nossa fé rotineira e os nossos pecados vão grudando na alma, até deixá-la tapada, cega para Deus.
LEITOR 1. –  Mas, se tivermos boa vontade e formos capazes de nos arrependermos sinceramente dos nossos pecados, o Espírito Santo nos concederá esse dom, inflamará o nosso coração, e então experimentaremos, maravilhados, as grandezas de Deus, as belezas de Deus, as bondades de Deus, os abismos de luz dos mistérios de Deus, as maravilhas da Graça divina e as exigências santas de seu Amor! Uma felicidade que não tem igual na terra, e que já é um prenúncio do Céu… Então, as coisas de Deus nunca nos parecerão pesadas, ou exageradas, ou negativas ou desagradáveis… Ler a Bíblia e rezar, por exemplo, ou participar ativamente da Missa, nos trará uma grande felicidade.
LEITOR 2. – É verdade. Mas acho que é bom compreendermos que esse conhecimento, fruto do dom de Sabedoria, não fica só, nem principalmente, em sentimentos. Justamente por ser um conhecimento de amor autêntico, ele nos leva à doação, ao sacrifício generoso, à obediência à vontade de Deus, ao cumprimento alegre do dever. Ou seja, nos compromete.
LEITOR 3. – Isso me faz lembrar que, no dia da Transfiguração, São Pedro, extasiado ao ver Jesus radiante de luz no alto do monte Tabor, queria deixar-se ficar lá para sempre: Como é bom ficarmos aqui; vamos fazer três tendas e acampar… Então Jesus lhe esclareceu que, se lhes tinha feito desfrutar daquela maravilha, era para que estivessem preparados, prontos, para tomar a cruz e acompanhar o seu Senhor até o Calvário .
LEITOR 1. – Sim, é isso mesmo. Lembremos o que Cristo dizia na Última Ceia: Se me amais, guardareis os meus mandamentos.  E: Ninguém tem maior amor que aquele que dá a vida por seus amigos. E o que São João, que, na Ceia, esteve à mesa junto dele, escrevia muitos anos depois aos primeiros cristãos: Eis como sabemos que conhecemos Jesus Cristo: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz conhecê-lo e não guarda os seus mandamentos é mentiroso e a verdade não está nele. Aquele, porém, que guarda a sua palavra, nele o amor de Deus é verdadeiramente perfeito. Jesus deu a sua vida por nós; nós também devemos dar a nossa vida .
TODOS. – Que Deus nos ajude a ser sinceros, a não ser daqueles cristãos que falam muito de Deus, que parecem muito “sábios”, que até querem dar lições aos outros e, no entanto, estão atolados nos erros e pecados, porque não levam a sério os mandamentos de Deus. É para eles que escrevia São João: “Meus filhinhos, não amemos com palavras nem com a língua, mas por atos e em verdade” .
 LEITOR 2. – Não acham que seria bom fazermos uma pausa de silêncio, para meditar e examinar a nossa vida…, e depois rezarmos todos juntos.
(pausa de silêncio).
TODOS. –  Santa Maria, Esposa fiel do Espírito Santo, dai-nos a sinceridade dos bons cristãos que, embora se vejam fracos e pecadores, não querem enganar-se a si mesmos. Fazei com que a alegria deslumbrante de conhecer o vosso Filho Jesus inflame em nós o desejo de amá-lo muito “com atos e de verdade”, de agradá-lo em tudo e de cumprir a sua santa Vontade, vivendo fielmente os mandamentos de Deus e da Igreja.
LEITOR 1. – Acabamos de dizer, na nossa oração, uma coisa que talvez seja o ponto máximo da Sabedoria.
LEITOR 3. – O que foi?
LEITOR 1. – Pedimos a “alegria deslumbrante de conhecer Jesus”. Aí está o grande segredo do cristão. Quando conhecemos Cristo de verdade, nós somos fortemente arrebatados pelo seu amor e, então, no tornamos capazes de assumir, por Ele, os grandes ideais cristãos, com todas as suas exigências e compromissos. Por isso, todos deveríamos desejar o que São Paulo pedia na Carta aos Efésios. Que acham se recitamos todos juntos as suas palavras?
TODOS. – Que sejais poderosamente robustecidos pelo seu Espírito em vista do crescimento do vosso homem interior. Que Cristo habite pela fé em vossos corações, arraigados e consolidados no amor, a fim de que possais compreender, com todos os santos, qual seja a largura, o comprimento, a altura e a profundidade, isto é, conhecer o amor de Cristo, que desafia todo conhecimento, e sejais cheios de toda a plenitude de Deus .
LEITOR 1. – Parece-me que hoje podemos encerrar por aqui o segundo dia da nossa novena, recitando, como fecho, esta bela oração espontânea de São Josemaria Escrivá:
TODOS. – Jesus: ver-Te, falar contigo! Permanecer assim, contemplando-Te, abismado na imensidade da tua formosura, e não cessar nunca, nunca, nessa contemplação! Oh, Cristo, quem Te pudesse ver! Quem Te pudesse ver, para ficar ferido de amor por Ti!
Santa Maria, templo e sacrário do Espírito Santo, Sede da Sabedoria, rogai por nós, que recorremos a vós.
LEITOR 1. – Sugestão de propósito concreto para este segundo dia: Visitar Jesus na Eucaristia, no Sacrário, sempre que pudermos. Ficar pelo menos uns minutos meditando no imenso amor de Cristo no Santíssimo Sacramento, e abrir-lhe o coração num colóquio íntimo.