Novena do Espírito Santo: terminar com Maria (10)

Décimo dia: MARIA: ESPOSA DO ESPÍRITO SANTO
TODOS. – Santa Maria, Filha de Deus Pai, Mãe de Deus Filho, Esposa de Deus Espírito Santo, acolhei maternalmente as nossas súplicas e intercedei por nós para que, na grande solenidade de Pentecostes, possamos oferecer ao Espírito Santo um coração aberto, transparente e puro. Vós que sempre acolhestes o Espírito Santo em vosso Coração Imaculado.
LEITOR 1. – Hoje encerramos a nossa novena – o nosso “decenário” – ao Espírito Santo voltando o olhar para a nossa Mãe, Maria Santíssima. Ela é, como a chama o Catecismo da Igreja, “a obra prima de Deus” , a virgem puríssima que sempre correspondeu à graça do Espírito Santo, sem nunca lhe opor a menor resistência ou recusa.
TODOS. – Que alegria ter como Mãe aquela que é a “obra prima” do Amor divino, aquela que é movida somente pelo Amor de Deus em pessoa, pelo Espírito Santo.
LEITOR 1. – Vocês se lembram da primeira vez que Nossa Senhora aparece no Evangelho?
LEITOR 2. – Sim, foi no dia da Anunciação. Assim o conta São Lucas, no primeiro capítulo do seu Evangelho: Entrando o Anjo onde ela estava, disse-lhe: Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo .
LEITOR 1. – É bonito. Desde o primeiro momento, a Bíblia nos fala de Maria inseparavelmente unida ao Espírito Santo.
LEITOR 3. – Como assim? Eu não ouvi que o Anjo mencionasse ainda o Espírito Santo.
LEITOR 1. – Mas, sim, sem nomeá-lo, ele o mencionou. Repare que a saudação do Anjo Gabriel, entrando em casa de Maria, é anterior à Encarnação do Filho de Deus no seio da Vigem. É importante lembrar-nos disso. E veja que o Anjo saúda Maria com duas frases breves (as que nós repetimos no começo da Ave-Maria). A primeira é Cheia de graça!  Vocês sabem que toda a graça é dada pelo Espírito Santo, e que toda alma em estado de graça – limpa de pecado grave–, é templo do Espírito Santo: Não sabeis que sois templo de Deus e que o Espírito Santo habita em vós?, dizia São Paulo . Pois bem, se até uma alma cheia de pecados veniais é templo do Espírito Santo (ainda que o “entristeça”), quanto mais não o será Maria, que foi concebida sem pecado original e jamais foi atingida por pecado algum. Portanto, ao dizer Cheia de graça, o Anjo diz, na realidade: Tu és plenamente habitada pelo Espírito Santo, és o templo perfeito, a morada perfeita do Espírito Santo.
TODOS. – É bonito mesmo ter uma Mãe assim. Mas…, por favor, comente a segunda frase.
LEITOR 1. –O Senhor é contigo – diz o Arcanjo. Que Senhor? Voltemos a pensar que não pode ser Jesus, pois nesse instante ainda não estava em seu seio. Então, isso significa que quem “está com ela” é o Espírito Santo, a quem  nós também invocamos como Senhor, no Credo longo da Missa, como aqui faz o Anjo.  “Senhor que dá a vida” – dizemos no Credo.
LEITOR 3. – É verdade. E, depois disso, o que é que o Anjo disse? O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso, o santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus . Nesse momento O Verbo se fez carne e habitou entre nós . Não acham maravilhoso que Jesus tenha vindo ao mundo como fruto direto do Espírito Santo, do Amor substancial no seio da Santíssima Trindade, e que tenha tido como Mãe a criatura mais bela, pura, maravilhosa e fantástica que saiu das mãos do Criador. E não acham que o mais tocante é que nos tenha dado essa Mãe como Mãe nossa? .
TODOS. – Sabendo disso, como nós sabemos, será possível que exista algum cristão que não tenha uma admiração, uma devoção, uma ternura e um amor imensos por essa Mãe santíssima, que nos quer a cada um de nós como filhos seus, irmãos de Jesus Cristo?
LEITOR 3. – Agora, se me permitem…
LEITOR 1. – Lógico! Estamos falando de coração aberto…, Diga, por favor.
LEITOR 3. – Então, se me permitem, eu direi que a cena do Evangelho relativa a Maria e ao Espírito Santo que mais me toca o coração é a da Visitação.
TODOS. – Gostaríamos muito de acompanhar o seu pensamento.
LEITOR 3. – Só o fato de ler o que diz o Evangelho de São Lucas já é um jato de luz. Vejam. Maria, na Anunciação, ouviu dizer que sua prima Isabel, já idosa, por mercê especial de Deus, estava esperando um filho. O Anjo falou disso como prova de que para Deus não há nada impossível. Mas Nossa Senhora logo captou que Isabel estaria precisando de ajuda nos últimos meses de gravidez e, então, diz São Lucas: Maria se levantou e foi às pressas às montanhas, a uma cidade de Judá, onde Isabel morava. Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança – o futuro São João Batista – estremeceu de gozo no seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.
LEITOR 1. – Pensemos na mensagem que nos traz essa passagem do Evangelho.
LEITOR 2. – Realmente, traz uma mensagem fantástica. Deus nos mostra que, desde o primeiro momento em que Maria se tornou a Mãe de Jesus, Deus quis se servir dela como instrumento para derramar a graça do Espírito Santo em outras almas. De fato, Maria – trazendo Jesus em seu ventre – torna-se, por querer de Deus, medianeira da graça do Espírito Santo para sua prima Isabel. Bem claro o diz Evangelho: bastou que os olhos de Isabel vissem Maria e seus ouvidos escutassem a sua saudação, para que Isabel ficasse cheia do Espírito Santo.
LEITOR 1. – É por isso que a Igreja invoca Maria com o belo título de “Medianeira de todas as graças”. O Papa Leão XIII chegou a dizer: “Ainda que a graça e a verdade nos tenham vindo, sem dúvida, por Jesus Cristo, é vontade de Deus que nada se distribua se não é através de Maria, de sorte que assim como ninguém pode ir ao Pai senão pelo Filho, do mesmo modo ninguém pode chegar-se ao Filho senão pela Mãe” .
LEITOR 3. – Faz muitos séculos, o grande poeta Dante Alighieri, na sua Divina Comédia, expressou essa fé antiqüíssima do povo cristão com os seguintes versos de grande beleza: “Senhora, és tão grande e tanto podes, que quem quer graça e a ti não recorre, o seu desejo quer voar sem asas” .
TODOS. – Será que a devoção a Nossa Senhora ocupa, na nossa vida, o lugar que Deus quer? Será que às vezes não nos esquecemos do que acabamos de meditar: que o próprio Deus nos manifesta que quer trazer-nos a graça do Espírito Santo pela mediação maternal de Maria? Recorremos sempre e em tudo a ela, com plena confiança filial? Seria bom pararmos um pouco e refletir sobre isso.
(pausa de silêncio).
LEITOR 2. –Sem nos afastarmos da cena da Visitação,  eu gostaria de acrescentar outra reflexão. O Evangelho descreve o encontro de Maria e Isabel como uma verdadeira explosão de alegria: Isabel louva Maria, feliz, transbordante de entusiasmo: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. Agradece em voz alta a honra de ter sido digna de receber a Mãe do meu Senhor, e acrescenta: Pois assim que a voz da tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria no meu seio. Logo a seguir, a própria Maria, inundada de alegria, expressa o seu gozo no cântico do Magnificat: Minha alma engrandece o Senhor e meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador .  Toda esta cena, que tem o Espírito Santo como principal “protagonista”, é um transbordamento de alegria. Realmente, não é sem razão que nós invocamos Nossa Senhora, na ladainha, como “Causa da nossa alegria”.
LEITOR 3. – É que a graça do Espírito Santo e a alegria vão juntas. Recordemos que, como víamos no primeiro dia da novena, São Paulo coloca a alegria como segundo “fruto” do Espírito Santo, junto com a caridade, com o amor…?  Ao pensarmos nisso, não acham que também poderíamos dizer, modificando um pouco os versos de Dante: “quem quer alegria e a ti, Santa Maria, não recorre, o seu desejo quer voar sem asas”?
LEITOR 1. – É isso mesmo! A alegria é o sinal de Deus, porque a alegria é inseparável do verdadeiro amor. Mesmo nos momentos difíceis da vida, se há amor a Deus e ao próximo, no fundo da alma reinam a paz e a alegria, que são compatíveis com as lágrimas. A alegria é inseparável do estado de graça, que nos faz templos do Espírito Santo, quer dizer – vale a pena repeti-lo mais uma vez –, do Amor divino. Bem dizia alguém que, no fundo, só existe uma tristeza, e é a de não sermos santos, de não termos em nós o amor de Deus.
LEITOR 3. – Com Maria, sempre poderemos alcançar ou recuperar a graça. Tendo um trato filial com ela, seremos capazes de aspirar à santidade, mesmo sendo pecadores, como de fato o somos. Mas Deus só nos pede isso: aspirar à santidade. E é uma verdade muito grande, talvez hoje mais do que nunca, o que dizia São Josemaria Escrivá: Um segredo – Um segredo em voz alta. –Estas crises mundiais são crises de santos .
LEITOR 1. – Que Deus acenda em nós o desejo de caminhar para a santidade, e que nós estejamos prontos para dar cada dia um passo: passos de amor e passos de contrição pelos pecados . Peçamos a Maria que nos acompanhe até um encontro cada vez mais intenso com o Amor que santifica, com o Espírito Santo.  Que Ela nos dê a mão e nos conduza, como o fez com os Apóstolos nos dez dias de  espera de Pentecostes.
TODOS. – Santa Mãe nossa, Virgem Maria, Esposa do Espírito Santo, dai-nos a mão no caminho da vida. Nós somos fracos, pecadores, pequenos, mas somos as vossas crianças, crianças rebeldes e sujas às vezes, mas crianças que querem caminhar pelos caminhos do amor a Deus e ao próximo. Vós, Mãe querida, nos ajudareis a sermos, como vós, dóceis à graça do Espírito Santo, dóceis aos seus sete dons. Não nos solteis da mão e, se alguma vez caímos no chão, pegai-nos em vossos braços, ajudai-nos a curar-nos e limpar-nos na confissão, e voltai a ser a mão materna e doce que nos guia por onde o Espírito Santo nos quer conduzir.
LEITOR 1. – Este é o melhor propósito concreto que poderíamos oferecer ao terminar a novena. Que Deus, pela intercessão de Maria, abençoe a todos os que nos preparamos com Ela para a grande solenidade de Pentecostes.