Páscoa: nasce a esperança

Para meditar: a Páscoa e a esperança
Cristo, minha esperança, ressuscitou! (texto da Missa do dia de Páscoa)
É verdade. Na manhã do domingo da Páscoa, juntamente com Jesus ressuscitado, glorioso, surgiu do sepulcro vazio a virtude da esperança, nasceu a esperança cristã, que é a única força capaz de estampar na alma um sorriso imortal, tanto na vida como na morte, tanto na dor como no gozo.
Sem esperança, não se pode viver. E sem esperança não se pode morrer. Quando falta a esperança, a vida torna-se angústia e a morte despenca no horror. Tira a esperança, e verás girar todos os teus sonhos, os teus amores, os teus trabalhos, as tuas penas e as tuas alegrias como folhas loucas num redemoinho descontrolado que acaba por desfazê-las em pó e em nada.
Foi na Páscoa – no dia da Ressurreição – que Cristo conquistou para nós a esperança. Desde então, a cada minuto da vida Ele continua a oferecer-nos a possibilidade de esperar. O triunfo da Ressurreição de Cristo é sempre atual, pela razão muito simples de que Jesus ressuscitado vive e nos ama, e está presente aqui, onde quer que nós estivermos. Ele jamais deixa de cumprir a sua promessa: Eis que eu estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos (Mt 28,20).
A verdade é que, na manhã do domingo da Páscoa, Jesus – verdadeiro Deus e verdadeiro homem – levantou-se vitorioso do sepulcro, vivo!, depois de ter carregado sobre si todo o mal do mundo, todos os nossos pecados, todas as nossas misérias, e de havê-los lavado no mar de amor da sua paixão e morte na Cruz. Quando se ergueu do túmulo, Ele era o Senhor da vida, o triunfador do mal, do demônio, da morte. E quis entregar-nos essa sua vitória para que fosse nossa. Ressuscitastes com Cristo, escreve São Paulo (Cl 3,1). Isso significa que tudo mudou! Agora, na tua vida e na minha, tudo pode culminar em vitória, mesmo as nossas misérias e pecados, porque no dia da Páscoa, juntamente com Jesus ressuscitado, nos foi dada a esperança.
Feliz Páscoa para todos!