EXEMPLOS: EU NÃO TINHA IDENTIDADE

  • EU NÃO TINHA IDENTIDADE

Nos Irmãos Karamázovi, Dostoiévski escreve: «A essência íntima do homem não é apenas viver, mas viver para alguma coisa. Sem uma noção firme do motivo para que vive, o homem não há de querer viver, e preferirá destruir-se».

É assim que andava sem rumo André Frossard, filho do primeiro secretário-geral  do Partido Comunista francês, antes de que Cristo, inopinadamente, o “apanhasse”. «Eu não tinha identidade – escreveu –. Deus foi o primeiro a dar-me um nome, assim como no íntimo te chama a ti que me lês e que, grande ou pequeno, célebre ou humilde, só és conhecido por Ele».

Só Deus pode nos mostrar o rumo que salva do deserto. Só ele pode nos dar uma estrela-guia e um nome novo (Ap 2,17), e derramar na nossa alma as águas vivas da graça do Espírito Santo, que saltam até a vida eterna (Jo 4,14). E,com elas, vem a paz e a alegria (Gl 5,22).

 

Adaptação de um trecho do livro O espelho dos Salmos